Mundos estranhos

Novembro 18, 2008 às 12:34 am | Publicado em Planetas | 2 comentários

Esta pequena polémica sobre a primeira detecção directa de um planeta extra-solar por Kalas et al., fez-me lembrar que o estatuto do 1º hipotético planeta detectado por observação directa (2M 1207B) está longe de ser consensual. Na verdade existem várias reservas quanto ao verdadeiro estatuto deste famoso planeta, pois parece tratar-se claramente de um objecto que nasceu juntamente com a anã castanha, embora com uma massa planetária. Daí que há quem ache que o objecto em questão e a anã castanha são na verdade um sistema binário e não um planeta e uma estrela.

Para mim, parece-me mais um binário de uma anã castanha e de uma outra coisa qualquer estranha, para a qual não temos uma boa definição. É que temos claramente um problema com este objecto que é o ter uma massa planetária, mas ter nascido como se fosse uma estrela num sistema binário. Isso mostra que o nosso conceito de planeta não é muito claro ou abrangente no caso dos planetas extra-solares e que não consegue incluir coisas esquisitas como o 2M 1207B.

Sei que não é fácil arranjar um conceito abrangente, mas parece-me que não podemos estar muito cingidos ao nosso conceito tradicional de planeta. Senão o 2M 1207B passa a ser uma coisa sem família. Agora é curioso como todos os comunicados do ESO divulgam o 1207B como um planeta extra-solar.

Portanto, seguindo esta linguagem popular digamos que a 1ª detecção directa de um extra-solar foi mesmo o 1207B, embora a sua definição como planeta seja polémica e escape ao conceito tradicional de planeta. Desse ponto de vista, o Fomalhaut B é mais fácil de definir como planeta que o 1207B. Disso também não há dúvida.

Anúncios

2 comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Ola!

    Antes de mais gostaria de te felicitar por manteres um site de astronomia tao actualizado — tarefa à qual me propus no ambito dos planetas extrasolares e na qual falhei escabrosamente. Apesar dos teus artigos acerca da descoberta de Fomalhaut b estarem bem estruturados e fundamentalmente correctos ha uns pontos acerca dos quais eu gostaria de chamar a atenção, onde a informação é erronea e, permito-me dize-lo, um pouco incendiaria.

    Quando o Nuno Santos refere que Fomalhaut não é observavel do hemisferio norte, ele refere-o, provavelmente, do ponto de vista de um astronomo profissional. A baixa altitude da estrela quando vista do hemisferio norte torna impossivel fazer medidas de alta precisao e portanto validas do ponto de vista cientifico.

    E é verdade que houve varios corpos de massa planetaria anunciados nos ultimos anos, sendo o mais famoso 2M 1207B. No entanto estes corpos teem massa maior que Fomalhaut b e foram, muito provavelmente, formados por colapso de uma nuvem de gas tal como uma estrela. São assim anãs castanhas e não planetas. O novo objecto foi identificado aquando da sua formação num disco, o esperado para um planeta, dando-lhe um estatuto completamente diferente.

    E sim, Kalas et al. tiveram muita sorte (o planeta é 100 vezes mais luminoso que o esperado e foi assim muito mais facil de detectar) e ha uma enorme propaganda detras de tudo. Mas o trabalho foi serio e ha que louvar tal. A verdade é que nos temos de aprender com eles a vender a ciencia que fazemos, algo que nunca se ve nos dias que correm.

    Até em breve,

    Pedro Figueira

  2. Olá Pedro

    Bem-vindo de novo. Ainda outro dia me lembrei de ti a propósito destas descobertas. De facto, não é fácil manter um blogue sobre astronomia. Mas vou fazendo o que posso.

    Mas agradeço sempre os teus comentários e gosto de discutir estas questões contigo, que sabes da matéria.

    Em relação ao Nuno ele enganou-se mesmo na estrela. Já falei com ele depois disso e ele não estava a pensar em Fomaulhaut quando disso aquilo. Não tem mal nenhum é um erro de pormenor.

    Tens razão no teu comentário em relação à dificuldade de observação de Fomalhaut, mas é óbvio que não se pode dizer que Fomalhaut não é visível do hemisfério norte, pois o problema que referes tem sentido à latitude de Portugal, mas junto ao equador não se coloca dessa forma.

    Se estiveres a ver Fomalhaut em Cabo Verde, a estrela aparece a 40º de altura, o que torna possível a sua observação noutras condições. Portanto, o hemisfério norte estende-se até aos 0º de latitude.. Portanto, não me parece correcto dizer que não se vê no hemisfério norte.

    Em relação aos ditos corpos de massa planetária observados directamente nos últimos anos tenho grandes dúvidas em relação a vários deles. A estimativa de massa em vários deles é muito incerta e são provavlemente anãs castanhas de baixa massa. O único que me parece credível como um eventual planeta é justamente o 2M 1207B, que foi curiosamente o 1º a ser anunciado.

    Ora, em relação ao 1207B estamos realmente perante um caso muito curioso. Não me parece que se possa classificar com anã castanha, pois está claramente abaixo do limiar das 13 Mjup. Também não me parece que se possa chamar logo planeta, pois como tu dizes deve ter nascido como uma estrela binária.

    Ora, sendo assim, o 1207B é um pouco inclassificável, embora do meu ponto de vista faça sentido que num futuro seja incluido no grupo dos planetas, justamente por causa da sua massa ser do tipo planetário. Não me parece que faça sentido classificá-lo algum dia como uma anã castanha.

    Ora se for classificado como planeta (coisa que é polémica hoje em dia) será de facto nos livros da história o 1º planeta detectado directamente.

    Não foi minha intenção tirar o mérito à descoberta do Kalas. De facto é uma descoberta importante e é o 1º planeta detectado directamente a quem podemos realmente chamar planeta sem grande polémica, coisa que não podemos fazer no caso do 1207B.

    Como tu dizes foi uma grande descoberta e com muita sorte à mistura, mas isso não tira o mérito ao homem. Agora não gostei obviamente da propaganda em volta. Agora é um facto que venderam bem o peixe deles.

    Já agora o ESO também tem vendido o 1207B e outros como as primeiras detecções directas de extra-solares. Isso mostra que o serviço de comunicação do ESO também se esforça,embora se perceba que a informação divulgada também não é mais correcta.

    Se bem te lembras o 1207B foi vendido pelo ESO como a 1ª detecção directa de um extra-solar, quando o estatuto do corpo não é bem esse. Mas na altura foi isso que disseram. Isso mostra que tanto o ESO como o Hubble não se importam de ceder à linguagem popular para vender uma descoberta. Portanto, o ESO à semelhança do Hubble nem sempre é rigoroso naquilo que comunica ao público. Mas pronto é o mundo que temos e pelo menos nós podemos desempenhar um papel importante para esclarecer o público que nos lê.

    Um abraço


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d bloggers like this: